Eveline
Olá, pessoas. Quanto tempo! Vim para falar um pouco de silêncio. Ou seria não falar? Ontem escrevi um texto durante um pequeno intervalo das aulas que tive no trabalho. Havia meio que o esquecido, mas ao receber uma ligação ainda agora, o meu amigo disse: “E aí? Tudo bem? O seu silêncio diz que não...” , eu lembrei e resolvi colocar aqui. Começa...
É engraçado como o silêncio é capaz de falar tanto. Esses dias eu acordei tomada por silêncios, lembranças e uma fina dor. Lembrei então de um poema de Affonso Romano de Sant'Anna. O nome é...




Silêncio Amoro

Preciso do teu silêncio
cúmplice
sobre minhas falhas.
Não fale.
Um sopro, a menor vogal
pode me desamparar.
E se eu abrir a boca
minha alma vai rachar.
O silêncio, aprendo, pode construir. É modo
denso/tenso-de coexistir
Calar, às vezes,
é fina forma de amar.

Então... depois desse poema, comecei a pensar nas diferentes formas de silêncio e as consequênicias de um calar. No caso do poema do Affonso, a gente pode ver que até o amor deve ser calado algumas vezes. Se até o “gritante” amor pode ser calado, o que dizer do resto?
Penso que o silêncio ensina a (re) construir, a viver e a amadurecer.
Acredito que mesmo que a gente não perceba as pessoas estão tomadas de silêncio. Seria um calar necessário? Um silêncio necessário por coisas pré-estabelecidas? C- O- N- V- E- N- Ç- Õ- E – S ?
A questão é que percebo que calar é necessário, mesmo que algumas vezes. O calar pode evitar sofrimento. E só em dizer isso já me dói... rsrsrsr.
Cada dia vejo que o silêncio pode(para alguns) ajudar em muita coisa; manter boas relações, segurar relacionamentos amorosos, esquecer o que se tem que esquecer ou até mesmo para mentir na frente de um espelho. Sei que a maioria das pessoas cala.
O calar às vezes trás uma felicidade maquiada, disfarçando as escondidas palavras saltitantes. Calar é (algumas vezes) ser quem não se é ou o simples fato de não poder simplesmente ser.
Silêncio é não poder dizer quê. E esse “quê” pode se tornar gritante dentro do silêncio.
Não quero estender a discussão porque sei que calar ou não calar é um fato que trás contradições, questionamentos e opinião própria. Cabe a cada um saber o que fazer de seus silêncios. Cabe a cada um a hora de calar ou gritar.

Agora vou ali tomar um café...caladinha, caladinha...

Eveline

(Photo by Inutilll)